4 Dias de Web Summit Lisboa

Este foi o primeiro dia da semana em que não acordei para me apressar para o Web Summit. Foram quatro dias intensos, muito desafiantes e cansativos, mas sobretudo motivadores, com infinita informação para absorver, muita coisa constantemente a acontecer, inúmeras novidades e perspetivas para conhecer.

Para atendermos a tudo o que queremos ver, a programação do evento teria de ser desdobrada em mais dias. Se quiséssemos ainda que sobrasse tempo para se proporcionar networking e partilha de ideias, o Web Summit deveria durar semanas!

A cada quinze minutos acontecem grandes novidades em cada canto dos quatro pavilhões da FIL, com especialistas que se desdobram entre uma série de palcos temáticos, com informações e opiniões relevantes a ser dadas em simultâneo… E nós sem o dom da multiplicação. Junte-se a isto o Meo Arena em modo non-stop, com as mais respeitadas personalidades internacionais na área da tecnologia (e não só) a partilhar pontos de vista. Uma inspiração para quem gosta da temática, uma loucura e um verdadeiro circo para quem só vai pela curiosidade.

 

Apesar da conhecida (e aplaudida) organização do evento, penso que quem vai com propósitos de tirar partido do Web Summit em termos de proveito para a sua atividade profissional ou da própria startup acaba por se sentir defraudado. O evento está muito bem pensado para visitantes, com palestras espetaculares, conferências a que nunca teríamos acesso de outra forma, cheio de pequenas ofertas e informações lá dentro, muitos encontros, inúmeros espaços de “comes e bebes”, muita “gente gira” e entusiasmada, um ambiente multi-cultural e uma exposição de startups única no mundo! Mas isto na ótica do visitante…

Como podem ter acompanhado pelo meu instagram, fui como visitante nestes quatro dias mas também vesti (literalmente) a camisola da minha startup e fui testar o evento, tentando ao máximo tirar partido destes dias, mas em termos de sucesso para a minha empresa! Bom, se é verdade que podemos interagir com quaisquer outras startups presentes e com quaisquer outros visitantes, a realidade é que esse contacto não se proporciona facilmente. Achei o evento, acima de tudo, muito expositivo, virado para a partilha de informações e apresentações, mas muitoooo pouco dedicado ao sucesso dos negócios participantes.

 

 

 

Gostava de ter visto mais investidores a assistir aos PITCH das startups presentes; de ter visto mais investidores com curiosidade sobre as startups expostas (sinto que vi muitas mais que eles no geral); ter visto mais investidores a conversar com “Atendees”, “Alphas” e “Betas”, em vez de conversarem e caminharem só entre si; de ter visto mais reuniões na área das “Office Hours” do que na área (muito concorrida) de “Investors Lounge”, onde eles também só convivem entre si. A minha startup conseguiu uma reunião de investimento nesta zona restrita do evento, mas posso dizer que isso era raríssimo de acontecer.

As restantes reuniões com investidores (que também tivemos) aconteciam noutras zonas da FIL, mas teriam de ser marcadas pelo site do evento com antecedência, o que retira toda a espontaneidade e curiosidade do evento. Não deveriam os investidores ser mais interessados, andar “a rondar” e a descobrir o que de novo se faz no mundo, a perguntar e a apanhar oportunidades de olhos nos olhos e em primeira mão, em vez de esperar contactos pelo chat do Web Summit ou em vez de escolher startups por catálogo, pela frase de descrição que vem no site do evento?

 

Se calhar sou eu que estou demasiado focada nas reuniões e boas conversas e contactos que saem deste evento. Se calhar sou a única que via este evento como uma oportunidade de alavancar negócios ou ideias de negócio e por isso esperar que se proporcionasse o contacto, opiniões, partilha de conhecimentos e muitas reuniões, em vez de 4 + 1 pavilhões extremamente expositivos, em que somos verdadeiros visitantes e espectadores.

Uma pena, em especial para quem vai numa verdadeira perspetiva de business making – porque para divertir, aproveitar a cidade, conhecer muita gente nova e ver caras conhecidas, este evento vale a experiência! No entanto, para quem é da área e a leva a sério, é verdadeiramente geek&passionate, para quem vai pelo negócio que representa, viu que o circo estava montado para os “geeks fashion” e para o ano terá de ir preparado para o facto de hoje em dia se dar mais importância ao que parece que fazemos do que ao que realmente fazemos. Se houver interesse em voltar…

 

Não me compreendam mal, adoro estes grandes eventos, acho-os úteis e espero poder voltar com mais disponibilidade (porque neste ano andei a representar a minha empresa) e organização, mas penso que passam a mensagem errada sobre os objetivos e proveitos do Web Summit – que só se fossem reais justificariam o preço do bilhete – e o que presenciei foi uma enorme feira de startups internacionais, com inúmeros “representantes de investidores” presentes e grandes personalidades internacionais a falar durante 5 ou 15min cada.

Valeu pela experiência! E por outros proveitos que, dedicadamente, conseguimos tirar do evento.
Esta é a minha opinião e não vale mais que isso. Alguém com outros pontos de vista para partilhar? Para o ano há mais! :)

 

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

No Comments