Um Gomo de Prazer

Há uma semana, a fechar uma bela manhã pelo centro de Lisboa, almocei no Gomo, um sítio que há muito tempo queria conhecer. De conceito saudável, penso que deve dar jeito a quem mora ou trabalha por perto (Saldanha) e às vezes precisa de desenrascar um lanche ou um snack sem ter de cair em soluções menos saudáveis. Se hoje já há oferta saudável em tantos sítios – para quem quiser mesmo encontrar, sabe que sim -, esta é especial porque “nos faz a papinha toda”.

O Gomo não é só um restaurante saudável, também oferece take-away e tem boas opções de grab&go. Nas primeiras horas da manhã preparam-nos batidos saudáveis, sumos verdes, iogurtes biológicos com variados toppings (saudáveis qb) e outros snacks que gostávamos de ver em mais sítios – e a bons preços, que é algo que também caracteriza este conceito.

 

 

 

 

 

Também preparam wraps e saladas para passarmos a levar para o trabalho, por exemplo, e no restaurante há os mais variados menus para almoços e lanches sem (grande) peso na consciência. Na verdade, para uma pessoa que esteja a tentar ser realmente saudável, eu diria que este não é o sítio ideal.

Do meu ponto de vista, este é um espaço de fast-food mas com uma série de atenuantes – nos menus e nos ingredientes – que tornam a refeição muito mais saudável.

Exemplos? Os wraps são servidos com palitos de cenoura em vez de batatas fritas, há menus de salada apelativos, as sopas não têm batata (ou natas ou outros truques pouco saudáveis), os bolos estão livres de glúten e de lactose, as tostas são em pão de alfarroba, os ingredientes são frescos e da época e muitos de origem bio.

Usa-se a batata doce em detrimento da branca, adicionam-se superalimentos a batidos e aos bolos, fazem-se panquecas sem glúten e sem açúcar… São boas iniciativas, quando a procura por “comida de verdade” é cada vez maior.

 

 

 

 

 

 

No entanto, para quem segue uma dieta mais saudável – que é o meu caso – este não será o sítio perfeito. A minha companhia desse dia come igualmente saudável e escolhemos um menu de salada, nesse dia a de frango (na última imagem), mas tivemos de pedir para tirar os croutons, o queijo e o molho (continha iogurte). A minha sopa estava ótima e o preço dos menus compensa a visita, mas penso que a oferta continua a incentivar a pecar.

À nossa volta comiam-se muitos hambúrgueres, massas e tostas, refeições longe de ser saudáveis, mesmo acompanhadas de cenoura em palitos.

Seja como for, tudo depende das escolhas de cada um (o que não faltava era pessoas a comer saladas também) e cada pessoa faz o seu verdadeiro saudável ou não. Acho que aqui estão boas soluções, que para os preços que praticam são muito justas e a intenção é maravilhosa. Que venham mais conceitos de alimentação na cidade, pois já se provou que a procura é garantida. Já experimentaram? Passem pela Av. Duque D’Ávila quando apetecer “um gomo de prazer” :)

 

 

 

 

 

www.ogomo.pt

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

1 Comment

  • Sofy says:

    Passei lá imensas vezes, e continuo a morar perto, mas nunca entrei! Agora fiquei com vontade :)