Ultra Violet – Pantone Color of the Year 2018

2018 é um ano promissor por variados motivos e nesta primeira grande semana as notícias excitantes somam-se, dão-nos um boost generoso de energias positivas, tudo misturado ainda com a magia contagiante do Natal (daqui escreve-se ao som dos meus clássicos natalícios favoritos!) e tudo parece mais que perfeito. Hoje quis partilhar uma dessas felizes novidades de ano novo.

Descobrir a cor deste ano foi muito entusiasmante para mim e dificilmente a escolha me poderia ter deixado mais feliz. Depois de muito apurar, a Pantone elegeu como cor de 2018 o Ultra Violet 18-3838. E o que este tom tem de especial? Muita, muita coisa, e os mais distraídos podem não perceber à primeira que este ano não se trata apenas de uma cor resumida a uma cor, mas muito mais amplitude e contexto à volta desta escolha perfeita.

Em relação à cor em si, o Ultra Violet representa originalidade, engenho, visão, criatividade e pensamento vanguardista. É um tom provocativo que nos remete para a imaginação, a invenção, o abstrato e uma atitude visionária, a apontar com toda a sua força e energia para o futuro, para o que vem a seguir. Esta cor muito sombólica tem estado sempre ligada ao que é disruptivo e que vai contra a corrente, que é original e procura exprimir-se de forma artística ou genuína.

A expressão da individualidade de cada um, dos nossos talentos e sentimentos únicos e de uma explosão de emoções traduzida em forma de algum tipo de arte ou produto final é automaticamente ligada a este Ultra Violet, cor tão especial que nos transmite a experimentação e um vincado não-conformismo.

Inventive and imaginative, Ultra Violet lights the way to what is yet to come.

– Pantone Color Institute

Mas há muito mais à volta da eleição do Ultra Violet. Esta cor enigmática também nos remete para a espiritualidade, tem uma conotação mística e inspira-nos a procurar explicações, a perseguir um mundo que está para além do nosso. A ligação quase direta desta cor com o vasto e infinito céu noturno não é por acaso: é resultado da fase de reflexão, dúvidas e busca da nossa identidade e essência que atravessamos no mundo atual, como consequência/contraste com uma crescente crise de valores.

Segundo a Pantone, a cor do ano é frequentemente associada a práticas de mindfulness, que proporcionam a estabilidade da mente, ter os “pés na terra” e uma noção mais correta da realidade, num mundo demasiado acelerado e a exigir-nos cada vez mais momentos de pausa, silêncio, contemplação e introspeção. Esta cor é muito usada para iluminar espaços de meditação ou de reuniões de comunidades, para inspirar à conexão, união, energia e paz.

Numa altura em que todos abraçamos estes refúgios felizes, fugimos dos estímulos (falsos) do mundo virtual, procuramos usar o nosso tempo inteligentemente e valorizamos cada vez mais o dom da vida, a cor do ano inspira-nos a um redirecionamento estratégico, das nossas vidas e do mundo, para usarmos de forma sábia a nossa existência, as nossas capacidades e a nossa individualidade. O fascínio crescente por esta tonalidade não é obra do acaso, ela é o reflexo da nossa busca constante (e cada vez mais acentuada) de significados e mensagens do universo.

“The Pantone Color of the Year has come to mean so much more than ‘what’s trending’ in the world of design; it’s truly a reflection of what’s needed in our world today.”

– Laurie Pressman, Vice President of the Pantone Color Institute.

A Ultra Violet parece descrever-se três palavras-chave: espiritualidade, invenção e imaginação

A Pantone descreve-a como complexa e contemplativa, uma cor que nos intriga e questiona sobre o que está para vir, ao mesmo tempo que tentamos descobrir quem somos e onde estamos no agora. Lembra-nos do infinito, de que as nossas possibilidades são ilimitadas, incentiva-nos a aspirar mais e melhor, ir até mais longe do que aquilo que conhecemos e achamos possível.

Além de tudo isto, esta é uma tonalidade nobre, associada à realeza e à abundância. Usar pormenores de decoração nesta cor, seja no nosso lar ou no escritório, atrai boas energias e o presságio de bons resultados, sucesso, prosperidade e (repito) abundância. Também nos ajuda à conexão com a nossa intuição, à atenção plena e, como consequência, ajuda-nos a reconhecer as blessings das nossas vidas.

A cor do ano tornou-se, então, em mais do que uma tendência no mundo prático: é reflexo de uma necessidade (cada vez mais óbvia) que sentimos – e que muitos de nós já praticam há bastante tempo. Falo da nossa reflexão espiritual, da procura de expressão artística, da exploração de novas técnicas, abordagens estratégias e fórmulas, e da incessante busca por atingir a nossa consciência máxima e levar o nosso potencial ao limite. Esta é ou não uma escolha mágica – e perfeita – para 2018?

Como cor do ano, o Ultra Violet revela-se em tudo ao nosso redor, não só em simbolismo (como já fui justificando), mas também em design, moda, arquitetura, beleza, decoração, pequenos elementos, eventos, casamentos, etc. Esta cor já se evidenciou muito no ano passado em batons e cabelos, por exemplo, nas pessoas mais ousadas e em inúmeras digital influencers nestas áreas.

Agora vamos ver ainda mais o uso da cor do ano e saber bem de onde ela veio :)

Gostaram de descobrir mais um pouco da energia para este ano novo? Está nas nossas mãos fazer dele um ano em grande e lembrarmo-nos sempre:

Se nada mudarmos, nada mudará!
O que já estás a mudar neste 2018? ✷

 

 

Aqui fica a minha mega inspiração Ultra Violet, a desejar um Ano Novo repleto de energias fora de série:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

2 Comments