The Best of August – Óbidos

Já tinha este post preparado há semanas e, no entanto, já não ia publicá-lo. Fiquei sem blogue nas últimas semanas de agosto e o post ficou em cativeiro, em rascunho. Agora, já em “modo outono”, não apetecia voltar a imagens dos dias de férias. Mas ontem, num autêntico #flashbackfriday, decidi pegar neste post para publicar, já que as minhas férias anuais são sempre tão curtinhas (ou inexistentes) e há-que trazer aqui qualquer coisa. Além disso, no dia deste passeio, tive tantas respostas e reações aos meus stories do instagram (que também é raro fazer), que jurei a mim própria que teria de organizar as imagens e trazê-las para o Trendy Lisbon! Aqui estou eu :)

[também me prometi fazer mais stories para vocês, coisa que ainda não correu tão bem e a que não sei se me vou habituar, não tem muito a ver comigo]

Nasci e cresci no oeste e, anualmente, passo lá uns dias em agosto. Vou atraída pelas praias, mas raramente o tempo está do meu lado e todos os dias sou brindada com céu escuro, vento frio e nevoeiro. É assim um dia normal em Peniche. Quando há dias de sol, normalmente tenho o azar de coincidir com a agenda cheia de programas com família e amigos. Num dos dias escuros deste ano, farta de ir para a praia de blusão, a minha mãe deu-me uma sugestão diferente: um passeio até Óbidos, por impulso e sem motivo específico. Sair de improviso é sempre uma boa ideia e foi mesmo esse o mote desta nossa saída, ir visitar mais uma vez este belo castelo, só porque apetecia. Além de um passeio espontâneo, ir com a minha mãe é sempre uma autêntica visita guiada e um regresso ao passado – e desta vez não foi exceção.

Foi uma tarde passada entre as antigas rainhas que marcaram a história daquela zona, mais especificamente entre Óbidos e as Caldas da Rainha (onde nasci), as obras que ergueram, os seus legados, as lendas… Tudo isso nos rodeia e está presente a cada passo pela vila. A minha guia pessoal dava-me pistas sobre tudo o que se tinha ali passado noutros tempos, apontava-me para o aqueduto, contava as suas histórias e ainda queria comprar-me recordações. Uma visita de luxo!

Acabámos por visitar e parar em pequenos locais irresistíveis dentro do castelo, como uma livraria linda e original (onde nos apetece demorar muito), a igreja, os miradouros, alguns artistas que nos brindam com música lindíssima enquanto passamos, algumas esplanadinhas muito apelativas para conviver um pouco…

Também entrámos num sítio a que quero voltar: uma casinha de pão artesanal, que prepara e cozinha em forno de lenha à nossa frente os melhores pães com chouriço de sempre (pudemos comprovar porque os comprámos), pães a sair para comer na hora, pizzas, broas tradicionais e bolinhos, entre tantas outras coisinhas apetecíveis. Assim que entramos naquele espaço, muito pequeno e acolhedor, temos os aromas – diversos e cruzados – que convidam a ficar. Quem é indiferente ao cheiro de pão quente?

Nas poucas mesas da Capinha D’Óbidos, estavam turistas a fazer lanches de pães quentes servidos em tábuas, com sumos naturais, e eu pude imaginar-me naquela salinha, numa tarde de inverno, a provar daquelas produções acabas de sair do forno, acompanhadas de chocolate quente. Um cheatmeal perfeito, que ficou logo combinado para uma próxima vez! E como vai ser para escolher entre os pãezinhos, as broas caseiras diversas, sempre a sair em quantidade, e os bolinhos de limão e côco (hmmm, aquele cheirinho no ar) ou de amêndoa e chocolate que estavam a ser feitos naquele dia?… E a cada hora, nova invenção. São sítios a guardar para voltar e voltar… Levem uma amiga e passem uma tarde inesquecível ♥

Com cenários tão perfeito por entre as muralhas, acabámos por dedicar-nos também às fotografias. Não havia máquina fotográfica e nenhuma de nós ia com bateria de telemóvel suficiente para tantos cantinhos perfeitos que nos chamavam para capturar o momento. Eu costumo preferir (mil vezes mais) apreciar os cenários e os momentos do que andar de câmera apontada, é o que faço sempre, mas desta vez foi difícil mantê-la sossegada – tenho uma espécie de vício por fotografia no meu dia-a-dia, não há um dia da minha vida sem fotos – e com cenários assim é absolutamente impossível de resistir.

Somando esta minha característica ao facto de raramente partilhar aqui pormenores da minha vida – ao contrário do que prometo frequentemente -, aqui fica um bocadinho do nosso passeio por Óbidos, numa tarde quente de agosto. Também já foram até lá? Eu aconselho a quem ainda não conhece, de preferência fora do mês mais cheio do ano :)
Quero tentar voltar com mais pormenores do que vou fazendo no meu dia-a-dia (se me forçasse a publicar mais no instagram já não era um mau começo, certo?), afinal de contas, este é também um blogue de lifestyle. Que o outono me inspire a documentar mais! Por agora, sobre este verão, acho que este é o ponto final. E terminamos mesmo bem:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

1 Comment

  • Sofia says:

    Lindas! :)
    Óbidos é um sítiozinho encantado :)