Revolutionary Living Coral for 2019

“Living Coral:
An animating and life-affirming coral hue with a golden undertone that energizes and enlivens with a softer edge”

– Pantone Color Institute

Está definida a cor do ano e, como sabemos, não foi escolhida por motivos aleatórios. Para quem não sabia, a cor para 2019 é o Living Coral, uma tonalidade que está mais presente que o habitual nos nossos dias desde o ano passado e se vai ver agora ainda mais, como é natural, ao longo de todo o ano novo.

A Pantone estuda todos os pormenores relativos às cores, em primeiro lugar no que se está a ver mais em termos de design, moda, beleza, marketing, encomendas, vendas, dados de fornecedores, estatísticas de todo o tipo, que refletem, em termos práticos, o que está a ganhar mais destaque em termos de cor.

Por outro lado, começa a investigar qual a que vai ganhar mais força, perdurar na procura e dominar no ano seguinte, a aprofundar mais sobre as motivações para essa procura, a descobrir todo o significado por trás da cor mais escolhida durante um significativo período de tempo. Este é o tempo do Living Coral e não é de estranhar que haja, de facto, explicação para a relevância desta cor atualmente.

“Color is a language and color is inextricably linked to the culture”
– Laurie Pressman, vice president of the Pantone Color Institute

Antes de mais, a cor de 2019 não é um coral vulgar, aquele que imaginamos de imediato, mais opaco e de alguma forma limitado. Living Coral implica precisamente que tenha uma certa tonalidade dourada que se mistura com a base coral intensa e que assim lhe confere vida, energia e até um pequeno toque de magia. Isto é o mote para tudo o que esta cor simboliza, a começar pelo ato de viver em si mesmo.

Living Coral remete-nos automaticamente para os corais e os oceanos, para a vida submarina e, consequentemente, para a vida no seu estado mais puro, intocada, natural… Com a beleza no seu estado de origem, o mais virgem possível, por contraste com um mundo cada vez mais desgastado, cinzento, pesado e que grita mais pela nossa ajuda a cada dia que passa.

Olhando para esta cor, debruçamo-nos sobre as preocupações que são cada vez mais evidentes na relação entre o nosso estilo de vida e o ambiente, ao mesmo tempo que ficamos cada vez mais alerta para a escassez de recursos naturais.

Por fim, lembramo-nos de que “ficar alerta” não chega, é até uma atitude palerma, para dizer o mínimo, em relação à dimensão do problema, e constatamos que é preciso agir! Não disfarçarmos para nós próprios porque ainda não fomos suficientemente informados das pequenas coisas que podemos mudar, não nos escondermos no alvoroço do dia a dia como desculpa (já gasta) para não alterar hábitos, não nos mantermos na ignorância por opção… É preciso tomar ação.

 

 

 

 

 

Falando em ação, outra particularidade desta cor é que nos remete, de facto, para a energia. Energia é precisamente o que extraímos da natureza, mesmo quando não nos apercebemos. Quando nos ataca a inércia, a depressão, a tristeza ou simplesmente a preguiça, no geral todos sabem que a natureza é um remédio instantâneo para tudo isso.

Aliás, sabe-se que muitas dessas condições mentais se alimentam da falta de contacto suficiente diário com a natureza… E há pessoas que privam mesmo o organismo de um passeio diário a sentir o vento e os sons naturais, a passar por entre um parque, ou parar meia hora (que seja) numa praia ou mesmo de uns simples 10 minutos de pôr do sol (que um dia hei-de escrever sobre a importância deste momento na saúde, biologicamente falando) ou, mesmo que ele já tenha passado há horas, o contemplar do horizonte na mesma, com a devida pausa para isso.

É claro que todas estas privações têm uma causa e são sinal dos tempos: há prioridades invertidas, as tentações são muitas e alguns humanos são fracos. São fases, todos podem nalguma altura escorregar.

 

 

 

E se metade das pessoas não troca a rotina feliz e saudável por nada, porque já está nesse patamar de plenitude em que sabem (porque já descobriram ou porque sempre o souberam) aquilo que faz bem, a outra metade anda distraída com o que não interessa, com o que é gastar tempo e queimar vida e não leva a lado algum, mas que é o caminho fácil e é nada mais do que uma adição venenosa, como qualquer outra: está à mão e a carne é fraca… E o Living Coral vem justamente chamar a atenção para o uso “indevido” ou “excessivo” das redes sociais.

Porque uma coisa será fazer uma publicação online de vez em quando, tirar 5 minutos e partilhar um momento com outras pessoas (embora virtualmente), mas outra coisa é andar nos nossos dias a correr, a viver mal e parcamente, para depois matar uma hora – ou três, ou cinco – do nosso precioso dia para olhar para um verdadeiro “nada” e afundar na fraqueza que é essa teia das redes.

Nessas horas está a chave para aqueles que dizem que não têm tempo para se exercitar (em casa, na rua, no ginásio, onde for), que não conseguem cozinhar as marmitas da semana, que não podem ler livros, que não podem poupar dinheiro, que não podem estar com amigos, que não podem alimentar paixões e perder-se em hobbies, que não podem arranjar uma segunda atividade para as poupanças que necessitam, que ‘não conseguem conhecer pessoas novas’… E que se perguntam como é que os outros fazem. E a chave que desbloqueia a vida para a felicidade plena esteve este tempo inteiro no bolso à espera de ser usada.

 

 

 

Felizmente, as aplicações mais usadas agora disponibilizam-nos resumo do tempo diário que desperdiçámos a olhar o mundo pelo ecrã (para quem quer enfrentar a realidade, pois há quem “viva” em negação) e ajuda bastante para quem pensa que só gasta 5 minutos aqui e mais 15 ali e não entende onde gasta o tempo, como anda distraído, como os dias são sugados, e que ao fim de novas 24h só trabalhou e no restante tempo desperdiçou mais um pouco da dádiva que é o estar vivo…

…cheio de possibilidades e de mundo todos os dias à nossa volta para observar, participar, assimilar, viver e nos enriquecer, se tivermos a sabedoria de estar com os pés na terra, abertos verdadeira e conscientemente para esse mundo lindo, para todas as oportunidades e assim com a capacidade plena para definir metas e correr atrás… Sim, é irmos visualizando as cores dos corais dos oceanos para nos ajudar a perceber melhor isto e a sintonizar a atenção aos poucos também! :)

Felizmente também, só metade das pessoas vive voluntariamente nessa prisão e a perder (por opção) os anos de vida e as maravilhas da realidade; a não-construir memórias a não ser as materiais, também estas impulsionadas pelas redes – que enfraquecem o estado mental de quem as devora, deixa-os nessa inércia e apelam aos desejos de consumo, como fonte necessária de prazer imediato para quebra do padrão de apatia (a infelicidade mascarada).

 

 

 

 

Os verdadeiros prazeres e conquistas da vida, as de longo-prazo, que nos realizam profundamente ao longo da vida e são fonte de genuína felicidade, ficam pois eternamente adiados, porque exigem disciplina e quem está rendido aos prazeres do imediato não pode claramente desejar melhor que isso, porque cedendo às tentações nada se constrói ou conquista. Podem apenas continuar a mirar alguns dos outros com algumas das suas concretizações… através das redes.

Assim, felizmente, existe a tal outra metade, a que continua os seus progressos constantes, a usufruir da vida como ela merece, dentro do que ela for deixando viver… E sem saber são a inspiração para todos os que ainda precisam de “acordar” e rodear-se um bocadinho mais da cor de 2019 para uma mudança radical, uma rotura com os maus hábitos e uma nova sede de se superarem, finalmente verem e viverem, de tomar as rédeas da vida e começar a recuperar tempo perdido para ainda vir a somar conquistas – das reais. As únicas que contam.

“When we think about the shifting nature of our world,
here’s a color that’s animating and life-affirming.”

– TIME

A cor do ano transmite-nos mesmo um estado de espírito e é esse o objetivo. Ela é forte e vibrante o suficiente para nos passar um sentido de dinâmica e atitude, mas também doce e bela ao ponto de nos despertar para o lado mais prazeroso da vida, o da diversão, leveza, lazer, celebração e todos os aspetos da vida que vão sendo obrigatórios para balancearmos os desafios que enfrentamos constantemente na busca pelos nossos objetivos (explicação que pude ler em time.com).

Afinal de contas, há poucas coisas melhores que um passeio relaxante ao fim do dia a contemplar as cores do céu ou a visita àquele amigo que nos enche de alegria e energia positiva ou o ato de convidar quando queremos celebrar as mais pequenas coisas… Essas, no fim, são sempre as grandes coisas. Living Coral lembra-nos precisamente as tonalidades de um céu que acabou de ver o sol a esconder-se, lembra-nos fins de tarde na praia e cores de roupa muito, muito descontraída… Lembra-nos tudo de bom :)

 

 

 

 

E porque a vida é mesmo este balanço dos dias, a cor de 2019 é também assim uma espécie de bon vivant, que é enérgico e efervescente, que se orgulha da cama que fez e onde agora se deita, que se deleita agora orgulhosamente com os frutos do que criou com o árduo trabalho que teve, que vai espalhando agora essa tranquilidade e magia em todos os espaços, enquanto continua de olhos postos na evolução e no progresso.

Continua sempre a poder fazer mais e melhor, por isso usa o seu brilho natural para passar mensagens importantes da melhor forma, ser exemplo e ainda fazer acontecer. Está a ficar abstrato? Vamos relembrar que esta cor nos remete também aos problemas que devemos enfrentar urgentemente, mas tudo isto pode ser feito com um olhar positivo e uma atitude… vibrante, inspiradora, brilhante.

 

 

 

 

Antes que a conversa comece a dispersar, e tendo em conta que já tocámos nos pontos principais, aqui fica por hoje a apresentação do tom muito especial que tenta traduzir o ano de 2019 ♥

Living Coral é a cor que nos inspira a romper com maus hábitos e a assumir compromissos connosco próprios; que nos energiza, no sentido de nos tornarmos mais e melhor; que nos conecta ao mundo real, à nossa essência e lembra-nos daquilo que mais importa. Quase lhe podemos chamar a cor das prioridades… Mas sempre com aquele brilho especial de quem sabe que o mais importante é o andar por aqui e a saber desfrutar de cada momento em pleno.

 

“Sociable and spirited, the engaging nature of Living Coral welcomes and encourages lighthearted activity.
Symbolizing our innate need for optimism and joyful pursuits, Living Coral embodies our desire for playful expression.”

– Pantone Color Institute

 

 

 

 

“This year’s colour tells us what a mess we are in.
Stunned by Trump, crushed by the lack of progress on climate change, we dream of bronze horizons, desert hideaway hotels, and unspoiled reefs where fishes happily flit.

On the catwalk, similar shades have recently been embraced at Poiret, Temperley London and Elisabetta Franchi. This is colour that promises paradise. It is a subtle, seductive blend, at once fleshy and ethereal, a colour that Pantone calls “natural” yet which, in reality, is exquisitely refined. It is a colour of escape and safety, a colour you can call home.”

– The Guardian

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Living Coral is a warm, peachy orange with a life-affirming golden undertone.
The color evokes vitality and buoyancy;
the marine invertebrate get its vibrant tone from the tiny algae living on its surface.”

– ELLE Decor

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“In a time when so many of us are increasingly immersed in digital experiences
that can be cold and isolating, Living Coral felt like an appealing shade of connection.

There’s just something about the color that feels
earthbound and welcoming, optimistic and intimate.
And those are the exact reason’s Living coral is so applicable in the home and design space.”

– Leatrice Eiseman, executive director of the Pantone Color Institute

“Vibrant, yet mellow, Living Coral embraces us with warmth and nourishment
to provide comfort and buoyancy in our continually shifting environment.

In reaction to the onslaught of digital technology increasingly embedding into daily life,
we are seeking authentic and immersive experiences that enable connection and intimacy.

Representing the fusion of modern life,
Pantone Living Coral is a nurturing color that appears in our natural surroundings.

Living Coral emits the desired, familiar, and energizing aspects of color found in nature.
In its glorious, yet unfortunately more elusive, display beneath the sea, this vivifying and effervescent color mesmerizes the eye and mind. Lying at the center of our naturally vivid and chromatic ecosystem, Pantone Living Coral is evocative of how coral reefs provide shelter to a diverse kaleidoscope of color.

Sociable and spirited, the engaging nature of Living Coral welcomes and encourages lighthearted activity.
Symbolizing our innate need for optimism and joyful pursuits,
Living Coral embodies our desire for playful expression.

– Pantone Color Institute

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ღ ღ ღ

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

1 Comment