Portuguese Pride

Quando ontem ao fim da tarde eu enviava uma mensagem para casa a dizer “está a começar o Real”, estava longe de saber que esta partida de quartos de final ia ser ainda mais memorável que o normal, mesmo sendo aquelas duas equipas.

Bastou hoje ver a abertura dos telejornais de hora de almoço para testemunhar por que o futebol é algo tão emocionante, por que é uma fonte de alegria tão grande e une tanto as pessoas em momentos de pura felicidade ao longo da vida, criando memórias inesquecíveis. Eu tenho inúmeras e todas tão especiais… E sem igual.

Aquele golo do nosso CR7 não foi “só” o glorioso golo que fica na história do futebol. Foi a forma como uniu toda a gente naquele momento de admiração e euforia, metendo um estádio inteiro a aplaudir tal proeza, adeptos do clube rival incluídos, conscientes de que estavam a presenciar um momento histórico – mesmo sabendo que a sua equipa, também histórica, saltará provavelmente para fora da champions depois deste golo; foi o discurso repleto de orgulho do treinador do Real Madrid, Zidane, que só conseguiu mesmo falar como amante de futebol, de como é afortunado por ter uma lenda viva a jogar pela sua equipa; o próprio guarda-redes que levou com aquele golo – Gianluigi Buffon, dos melhores de sempre no que faz -, falou daquele momento com total admiração, do alto dos seus 40 anos, mesmo sabendo que esta seria a sua última oportunidade de conquistar o sonho da grande vitória da champions, e no fim ainda foi ele que ganhou a valiosa camisola de Cristiano Ronaldo deste jogo, símbolo do momento que presenciaram.

O que dizer? Tudo o que tentar dizer sobre o assunto só o diminui. É como tentar tirar fotos a um momento único e emocionante, importante para nós, ou a um lindo pôr do sol: só vamos diminuí-lo (e ainda perder o nosso momento). Assim, só queria lembrar como somos verdadeiramente sortudos por viver no mesmo tempo em que Ronaldo nos brinda com tantos momentos de ouro, que confirmam constantemente como ele é, de facto, uma lenda viva. E quando eu digo que somos uns sortudos, não falo dos portugueses, mas do mundo inteiro, porque ele terá para sempre o nome entre os maiores.

Que a sua carreira se prolongue e prolongue e prolongue!

Neste dia de emoção enorme e de orgulho nacional, ainda aproveito para guardar um bocadinho da baba para a área da moda e a mais recente conquista de Sara Sampaio: finalmente representa uma marca de luxo e concretiza assim um dos seus grandes sonhos enquanto manequim. Há anos que afirmou que esta é a grande meta de uma topmodel e que também ela queria um dia assinar por algum nome de luxo. Aqui está a primeira grande assinatura, mesmo que não esteja sozinha nesta campanha Armani.

Há cinco anos que a (divinal) Cate Blanchett era a cara da fragrância , de Giorgio Armani. Agora a casa Armani apresentou o novo Sì Passione e juntou à (maravilhosa e única) Cate Blanchett as modelos Adwoa Aboah e Sara Sampaio, a protagonizar individualmente as campanhas deste novo perfume. Aos 26 anos, Sara Sampaio soma e segue e esta assinatura deverá ser só a primeira de uma carreira brilhante. Dia de muito orgulho nacional :)

 

 

Também fortemente emocionantes foram as reportagens a recordar o assassinato de Martin Luther King, a 4 de abril de 1968 – há 50 anos atrás -, o Nobel da Paz que nos fará para sempre recordar a sua causa.

Foi um exemplo único de como devemos lutar sempre por fazer a diferença (boa) neste mundo, se acreditarmos realmente na nossa causa. Deixou-nos com apenas 39 anos mas o seu legado eternizou-se.

As reportagens de hoje foram fortíssimas!
Num dia de grandes emoções, dos que nos inspiram e nos fazem lembrar de como este mundo é de todos e estaremos sempre unidos, desde que estejamos presentes, informados, interessados.

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

No Comments