Haute Couture Week – Fall 2018

Sábado é o dia perfeito para um olhar sobre a semana que passou. Foi cheia – ou não fosse verão – e por isso não dá para um olhar abrangente, mas podemos falar dos maiores highlights destes primeiros dias de julho: as apresentações das maravilhosas coleções de outono de Alta Costura, em Paris, e a festa que continua acesa e cada vez mais viva no Mundial da Rússia.

Quanto à última, faz hoje uma semana que a nossa Seleção foi eliminada e não era o que desejávamos, mas que de certa forma também não foi surpreendente, até porque só um poderia passar. Eu, pelo menos, aproveitei o jogo como se fosse o último e é assim que corre sempre tudo muito melhor. Tivemos direito a uma quarta festa de futebol, o que já foi fantástico só para um mês bem recheado de emoções, e perdemos com mais uma equipa que adoro (mas que preferia que tivesse ficado por ali em vez de nós). Desde então, o Mundial só tem ficado cada vez mais intenso, os jogos cada vez mais imperdíveis e a festa continua a ser bastante vivida – como podem espreitar e confirmar em qualquer esplanada em volta. E hoje há mais :)

Ontem não houve grandes surpresas nos resultados, duas equipas fortíssimas (com dois jogos espetaculares!) passaram à próxima fase e uma delas foi a de França, por quem também acabo sempre por torcer, ou não respirassem eles outra cultura e princípios que adoro. O protagonista, como sempre, foi Griezmann, que brilhou a cada canto que marcou, foi o melhor jogador em campo e destacou-se no golo, que nem festejou porque (como eu também) tem carinho e muito respeito pelos uruguaios.

Griezmann foi a cara de há dois posts atrás aqui no blogue,
é a bandeira de França neste momento e é mesmo para lá que vamos no resto do post.

A semana de Haute Couture que terminou ontem em Paris foi das mais faladas de sempre e parece que a Moda volta, cada vez mais, às suas raízes mais puras, à sua verdadeira identidade, essência e cultura. Excelente presságio para tudo o resto na vida! Os desfiles tiveram tanto de belo quanto de vanguardista, uns mais clássicos e outros (bem) mais arrojados, mas no fim todos surpreenderam bastante e houve um em específico que desta vez se destacou e que marcou ainda mais que os restantes: Valentino.

Espero ainda poder falar nesse em particular, mas por hoje partilho duas outras coleções que merecem muito ser vistas. São elas as das casas Chanel e Givenchy, dois nomes icónicos e incontornáveis e que mais uma vez não desiludiram – bem pelo contrário -, apesar de ter sido muito difícil de escolher apenas dois desfiles para partilhar aqui hoje, a fechar e a honrar esta semana de Haute Couture Fall 2018. Espero que também gostem e, se as virem com atenção, digam-me qual a coleção de que mais gostaram.

Eu simplesmente adorei tudo e daí precisar do desempate.
Aqui ficam ambas, sem as coleções completas e sem a sequência correta do desfile:

 

Chanel

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Givenchy

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

No Comments