Best of the Week(s)

A vida pode andar cheia e a desafiar a nova rubrica de novidades semanais, mas ainda não foi desta que me venceu. Saltei uma semana, mas junto-a agora neste conjunto de highlights meus, que desta vez passa a ser das duas últimas semanas em vez de apenas uma.

Aqui ficam algumas partilhas e curiosidades para atualizar o blogue, como bem merece. Se alguma for do vosso interesse, entrem na conversa! Se for com factos a acrescentar, tanto melhor. Pode ser que para a semana que vem haja mais :) fica o meu “best of the weeks”:

 

✯ ✯ ✯

Gisele Bündchen, mesmo que aposentada da moda e dedicada a causas maiores, foi a capa da Vogue Brasil do último mês, numa edição muito especial em que volta a “casa” e dá destaque à riqueza e potencial da sua terra: Rio Grande do Sul.

É por lá que vai empreender o seu próximo grande projeto e, como não para, também foi agora que apresentou o seu novo livro: Lessons.

Uma viagem profunda pela vida daquela que foi até há bem pouco tempo a protagonista da indústria da moda, a modelo mais bem paga de sempre, aquela que nunca viria sequer a servir para modelo fotográfico porque tinha um enorme nariz e olhos pequenos…

Gisele relata muitas das adversidades por que passou durante o seu percurso e, acima de tudo, as valiosas lições de vida que guarda e agora partilha connosco, sobre como conseguir atravessar toda uma fase de tempestade até conquistar um ponto de serenidade e equilíbrio.

No fim, um enorme esforço e propósito compensam sempre.
Uma leitura obrigatória!

 

 

 

 

 

Hailey Baldwin e Justin Bieber casaram-se.
O casalinho sensação mundial do momento tinha-se declarado engaged e, com 21 e 23 anos, tinham anunciado ao mundo que não tinham pressa em relação ao passo seguinte.

Agora mudaram de ideias: o cantor e a modelo já são marido e mulher.
Aqui deixo algumas imagens dos pombinhos (todas de momentos capturados em Nova Iorque), para assinalar o acontecimento:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O planeta Terra perdeu Stan Lee,
a mente que idealizou e materializou mesmo os nossos super heróis favoritos, desde o Homem-Aranha ao Homem de Ferro, passando pelos X-Men, Hulk e por aí fora. E, por favor, não o reduzam aos filmes, porque isso já é uma transição mais recente. Durante décadas, este maior herói de todos foi uma espécie de cara oficial dos comic book conventions e comic events, com todo o impacto que isso tem, por exemplo, nos Estados Unidos. Um ídolo para todos os amantes destas artes, que acabaram por nos converter a todos, a nível mundial, através dos livros de banda desenhada, bonecos, brinquedos, desenhos animados e, já mais tarde, dos filmes.

Das melhores sensações nestes meses de frio, e em especial em quadra natalícia, é estar confortável e quentinha no sofá e fazer “play” num filme que começa por dizer bem em grande: “MARVEL”.

Já há anos que é habito nosso e no ano passado lembro-me da quantidade de vezes que ver esta palavra em grande a aparecer aquecia logo o resto da noite, com um filme da maior qualidade e uma bela dose de emoções a seguir-se. É impossível separar estes filmes de toda a história que têm até aqui, de como elas nos marcaram as infâncias, emocionaram tanta gente com generosas doses de fantasia (tão importante) e de repente se materializam em filmes.

A perda de Stan Lee é obrigatoriamente sentida desde os mais geek ao mais comum dos mortais. São as mentes criativas e sonhadoras que mais fazem falta neste nosso planeta.

“I used to be embarrassed because I was just a comic-book writer while other people were building bridges or going on to medical careers. And then I began to realize: entertainment is one of the most important things in people’s lives. Without it they might go off the deep end. I feel that if you’re able to entertain people, you’re doing a good thing.”
– Stan Lee

“Life is never completely without its challenges.”

 

 

“[Being a ‘geek’] has become a badge of honor.
It’s geeks who really make or break a TV show or movie or video game. They’re the ones who are passionate about these things and who collect [the paraphernalia] and talk about them. A geek is really somebody interested in communication and entertainment and [finding] the best way to avail himself or herself to it.”

“With great power comes great responsibility”
– Stan Lee (ou uncle Ben Parker, em Spider Man ❤)

 

❤❤❤

 

 

Dos arquivos da já extinta Life Magazine, são agora regularmente organizados e publicados alguns acontecimentos e imagens clássicas e fotografias icónicas, que de outra forma ficariam perdidas no tempo.

A popular revista que durante décadas foi a melhor dos Estados Unidos em foto-jornalismo, mas que encerrou já há tantos anos, tem consigo todos os tesouros fotográficos da nossa história e por isso é agora sumplemento da revista Time, em forma de reportagens fotográficas de relevância.

Tive de partilhar esta que saiu agora, que é inteiramente dedicada ao percurso dos Queen, desde a parte mais pública ao lado mais privado e desafiante dos artistas.

Depois de vermos o filme sobre a banda, que é tão bom mas no fundo é uma história enfeitada, só queremos mergulhar nos factos e descobrir a fundo o que estes quatro elementos foram, sentiram e viveram. Já fiz esse estudo exaustivo durante o último mês e são mesmo verdadeiros ídolos. Esta edição da Life, com imagens exclusivas, é um must-read para todos os admiradores dos Queen.

Cover photo by Mick Rock, London, 1974

 

…e falando em ‘Queen’ e no melhor que nos chega de terras britânicas…

O Príncipe Carlos celebrou um aniversário muito especial e bem redondinho no dia 14:
70 anos, e uma data marcante que ficou assinalada com esta liiinda fotografia de família
– e com direito a uma participação inédita do mais novo dos principezinhos.

 

E se olhamos para a família real… No dia 20, a rainha Isabel II e o príncipe Filipe comemoraram 71 anos de casamento.

Uma união que foi feita por amor e que, após 71 anos sob o olhar público, continua a ser a única situação que arranca sorrisos rasgados à monarca, como nunca vistos em qualquer outro momento.

O príncipe Filipe, que abdicou dos seus direitos de cidadão comum, da sua religião ortodoxa, da sua carreira militar e até dos seus apelidos, tudo para poder prosseguir com este casamento e ficar para sempre na sombra da sua mulher, continua a ser o único a conseguir tirar a rainha da sua pose formal e austera, com uma careta ou um sorriso maroto, numa eterna cumplicidade que é de derreter.

 

 

 

 

 

Cristina Ferreira surpreendeu ao publicar um novo livro.
“Falar Inglês É Fácil” é o novo lançamento, em parceria com um departamento da Universidade de Cambridge: o Cambridge Assessment English. Esta foi a primeira vez em que se associaram a uma figura pública, a nível mundial, e por isso a apresentadora está triplamente de parabéns (os terceiros parabéns serão, obviamente, pela conclusão do curso a nível pessoal).

Cristina soma e segue e parece mesmo que sem parar um segundo.
Ainda garante que não usa agenda e que todos os dias consegue bastante tempo de qualidade! Uma verdadeira super-mulher, que nestas semanas ainda ganhou o prémio mais aguardado da noite da gala deste ano da GQ Portugal: foi eleita Mulher do Ano.
Who else?

 

 

 

 

Também tirado desta grande gala, que bem merecia ter recebido reportagem fotográfica por aqui, há um conjunto que tenho de destacar. Luis Borges arrasou neste look integral Luis Carvalho, e hoje tenho de partilhá-lo porque muitas vezes surge a questão “veste-se mesmo na rua o que se vê nos desfiles?!” e é algo que até me faz revirar os olhos com frequência…

Luis Borges deu vida a um dos looks da mais recente coleção deste maravilhoso criador português, provando assim que na rua – e nos contextos adequados – a roupa dos fashion designers brilha, mesmo fora dos cenários fantasiosos da passarelle.

 

 

Saíram as primeiras imagens das filmagens de Little Women, um dos filmes mais esperados para 2019 e de que falei aqui.

É mesmo muito estranho ver as novas caras nestes papéis que estão tão vincados nas nossas cabeças, mas venham daí com esta proposta. 2019, que está tão próximo, nestas coisas parece ainda tão distante!

 

 

A única personagem que não vejo mesmo noutra interpretação é a de Claire Danes, como Beth March,
porque não imagino maior perfeição de escolha de atriz para o papel. Bom, também acho impossível habituar-me a uma nova Jo, que parece insubstituível no nosso imaginário, mas cá estaremos para ver. Venha o filme!!! Enquanto recordamos o antigo…

 

 

 

E como se sairá Chalamet a fazer de novo Laurie? :)

 

 

…veremos…

 

 

 

Nestas semanas também foi tempo de mergulhar no Natal, os primeiros passeios temáticos, músicas liiiiindas e inspiradoras da época, decoração da casa, luzinhas a piscar, o primeiro bolo rei… Pelo menos por aqui foi assim e no próximo mês há muito mais e será tema recorrente. E desse lado, também já com este feeling maravilhoso? Totalmente de aproveitar cada segundo ❤

 

E Nova Iorque vestiu-se de branco, para receber a noite de Thanksgiving mais fria de toda a história dos Estados Unidos. Ignorando a preocupação com este espelho das alterações climáticas, o resultado foi, tal como em todos os anos quando chega a neve, deslumbrante…

 

 

 

❄ ❄ ❄

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

No Comments