Um Ano de Mercado AgroBio – Parque das Nações

Desde julho do ano passado que, aqui mesmo à porta, em pleno Parque Tejo (Parque das Nações), temos o privilégio de ter um mercadinho biológico semanal. Uma novidade que não conheci logo, porque nos meses de verão esta zona torna-se pouco atrativa, com poucas ou nenhumas iniciativas, um calor que espanta as atividades, ninguém nas ruas, o parque vazio e sem vida, quente até nas sombras e parece mesmo que a alegria do mundo desapareceu. Sente-se um isolamento no pico do verão, por aqui.

Assim, nos meses de época alta normalmente sei menos do que se passa pelo parque – sei que o teleférico, oceanário e restaurantes estão sempre bons e bem vivos e o Tejo sempre bom para as fotos, isso sim – e só quando regressei ao ar livre (com menos calor) pude ver as novidades: o Mercado AgroBio de Lisboa agora passava também pelo Parque das Nações. Antes de ver, interrogava-me sobre o local, sobre o tamanho do mercado, sobre se teria interessados, etc. – aqui as pastelarias e restaurantes gordos estão sempre cheios e durante tempos tive a ideia errada de que nesta zona toda a gente come terrivelmente.

Afinal, na primeira vez em que passei pelo mercadinho fiquei mesmo feliz, principalmente por me ter enganado em relação às pessoas. No final de contas, aqui temos tanta gente a correr no parque quando o sol ainda nem se levantou; tanta gente com PT no relvado e as máquinas de exercício do parque sempre lotadas; tanta gente com bom lifestyle de mantas e leituras na relva, passear os cães, brincadeiras com as crianças (sem telemóveis), jogar à bola entre família e amigos, longas caminhadas; tanta gente a “roubar-me” o meu amado pão da Miolo do meu mini-mercado gourmet, mal os pães chegam; tantos ginásios para uma única (e pequena) freguesia. Porque havia eu de focar-me em meia dúzia de esplanadas gordas?…

O mundo está a mudar e ainda bem :)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O mercadinho bio é um regresso às origens, com pequenas bancas de produtores que nos trazem os melhores frescos, seja em fruta e legumes, seja noutras maravilhas, como leguminosas, sementes ou frutos secos. O aspeto não engana: as maçãs são iguais às que só via na Praça de Peniche quando era pequena e os verdes têm uma cor que gritam “fresco” por todo o lado. Só apetece trazer toda aquela saúde para casa :)

Para quem não conhece, este mercadinho está aqui todos os sábados de manhã, entre as 9h e as 14h, perto da Torre Vasco da Gama (ou Hotel Myriad). Mesmo sem grande interesse nas hortas alheias, é sempre um belo passeio de sábado de manhã. Para quem pensa que a Expo é apenas para vir comer em restaurantes com vista para o Tejo e admirar as vistas daqueles bancos de cimento, sugiro que se percam por uma volta dentro do parque. Vão querer instalar-se entre o verde e os sons da natureza, inventar atividades e não mais sair.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Acho sempre o mercadinho super inspirador, gosto de passar lá logo pela manhã e sentir a agitação das pessoas à volta dos frescos, com alegria, a levar sacos cheios para toda a semana. Gosto de ver essa festa à volta do que é saudável e só espero que o mercado se mantenha aqui, cada vez com mais vida. Que o próximo passo seja a abertura de cafés e restaurantes saudáveis nesta zona, a acompanhar o que já existe há anos por Lisboa inteira. Ansiosamente à espera!

E para ajudar a inspirar para a visita aqui à zona, deixo algumas das fotos que vou tirando às redondezas.
Vale ou não vale uma visita ao Mercado AgroBio?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais em www.agrobio.pt

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

No Comments